ADECIN - Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Cidade Nova

Culto online

FAMÍLIAS


CASAMENTO EM CRISE

Antes que uma crise se manifeste, surgem os sinais, mas nem todas as pessoas conseguem identificá-los. Percebem, mas negam sua existência. O agravamento é certo de acontecer, mas o casal não se atina a isso e prefere deixar a falta de alegria invadir suas companhias.

Por mais grave que seja, uma crise matrimonial não precisa significar o fim do relacionamento.

Primeira coisa a ser feita é aceitar que há uma CRISE. Enfrentar o problema é a melhor solução. Não finjam que não há nada de errado. Isso só prejudica vocês mesmos.

Saia da sua zona de conforto e solucione o problema!

Quando o casal vive uma crise, o ambiente que o rodeia costuma ficar pesado, negativo e há certa disposição para os conflitos.

Mantenha a calma, esqueça a função de criticar, nunca ataque ou desmereça o outro. Isso só piora a situação. O autocontrole é essencial.

Se vocês não recuperarem as boas memórias, a harmonia não acontecerá. Se a situação já está crítica, brigar pra quê? Empenhe-se em mudar a situação. É preciso começar a mudança em si, mesmo que o cônjuge não mostre nenhuma intenção de mudar.

Parece loucura não é? Você deve estar aí me julgando agora por te orientar assim, mas acredite. Se está ruim, não piore. Mude o quadro. O êxito de um matrimônio não consiste em encontrar uma boa pessoa, mas em ser uma boa pessoa. Todos nós temos defeitos e, às vezes, uma crise conjugal pode ser desencadeada ou agravada por causa deles. Identifique em que você pode melhorar e se empenhe em ser uma pessoa melhor.

Lembrar-se dos momentos felizes passados juntos: os primeiros anos do casamento, o namoro, o nascimento dos filhos, as conquistas do casal, a viagem de lua de mel etc. Essas boas lembranças compartilhadas ajudam os cônjuges a perceberem que a crise é um problema localizado, e que vale a pena lutar para superá-lo.

A primeira coisa que muda e sofre quando há uma crise entre o casal, é a comunicação. As respostinhas aparecem, o silêncio torna-se rotina, a falta de interesses em comum aborda... Falar com o cônjuge parece o maior sacrifício dop mundo, visualizar o rosto, sentir o hálito pela manhã, encostar no suor... Arg! Dá vontade de gritar, não é? Pois bem, é nessa hora que você precisa conversar. Não se feche ao diálogo! Não tente conversar com seu cônjuge se você não puder controlar seus impulsos, mas não deixe de conversar só porque acha que não vai conseguir.

O resultado dessa insegurança será a palavra SEPARAÇÃO. Resultado de um pensamento antigo de que se as coisas estão ruins é melhor separar. Isso é anular a sua capacidade de soluções. Tudo na vida requer esforço e dedicação e as dificuldades matrimoniais não são exceção.

Desde que exista o desejo de melhorar as coisas, sempre haverá algo a ser feito. Precipitar-se e desistir não é a melhor solução.

No entanto, se você não consegue sozinho (a), busque ajuda! Um especialista pode ajudar a resolver ideias equivocadas. Use a crise para crescer!

Toda crise gera uma mudança.

Uma situação negativa quando resolvida, melhora ainda mais o relacionamento e reforça o compromisso matrimonial com o outro: MATURIDADE.

A maturidade adquirida pelo casal ao enfrentar e sair de uma crise poderá ajudar a resolver com mais facilidade eventuais problemas futuros.

Texto adaptado do site LaFamilia.info.

 

 

 
 

Newsletter

 

Versículo do dia

"E agora, filhinhos, permanecei nele; para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança, e não sejamos confundidos por ele na sua vinda."

1 João 2:28